quinta-feira, abril 16

Vivendo de História

. quinta-feira, abril 16


A greve dos ferroviários no Rio de Janeiro prejudicou bastante a estrutura do transporte público fluminense. As pessoas ficam nervosas, trens hiperlotados. O brasileiro, quando possui o mínimo de poder, abusa dele. Foi o que aconteceu na estação de Madureira. Os guardas da Supervia estavam dando chicotadas nos passageiros. Lembra muito a cena dos guardas exaltados no filme "A lista de Schindler". Quem quiser conferir, pegue seu DVD na locadora.

Dedicado ao Jô Soares

2 Comentários:

Toninho disse...

Parecia mesmo era uma guerra urbana !!!
Ué ??!! Mas não é isso que esta acontecendo !!!
Aliás, acontece todo dia, em todo lugar.
Uma guerra criada pela desigualdade em prol do “Eu quero é do meu jeito”.
Hoje vi em um telejornal um senador reclamando, pois, queriam diminuir a verba para passagens aéreas, pois estavam usado-as indevidamente. Ele alegava que o presidente e os ministros viajam com suas esposas. Então porque os senadores não poderiam ??
Será que é porque fora essas duas classes desavergonhadas, todos as outras pessoas que trabalham viajando, tem de ir só ?? Ficam com saudades de suas mulheres e parentes e não recebem ajuda nenhuma do governo para amenizar esse sofrimento.
No fim, temos de ir só, de trem, e a base de socos e chibatadas.
Beijunda a todos.

Verlorener disse...

Não estou querendo ser pro-violência, mas quem não segue as normas tem que receber alguma punição por isso.

Me diga como se acalma um monte de gente exaltada e indignada, com a postura "eu quero é do meu jeito", citada no comentário acima?

Fodam-se as reinvindicações! Eu quero é ir trabalhar, dêem um jeito de pôr essa merda de trem pra andar! Que absurdo o trem parado! Que absurdo tudo lotado! - Dizem vários.

A população não respeita coisas pequenas como sinais de trânsito, os adesivos de embarque e desembarque dos vagões do metrô, e muito menos as leis comuns de boa convivência. Por que repeitariam o direito de protesto dos ferroviários, os outros passageiros e os guardas da estação de trem?

Acham um absurdo a greve dos ferroviários, mas acham corretíssimo fazer greve de civilidade e se comportarem como boçais nas plataformas. Subiram em cima dos vagões e queriam ir pendurados nas portas. Depois se cairem vão querer culpar a empresa de transporte que "viu" e não fez nada.

Pobre dos guardas que trabalham com um contigente ridículo e sempre que há confusão têm que se virar como dá pra conter a multidão aloprada.

Me perdoem se o comentário for demasiado forte. Mas pra conter multidão, se não for com chicotada que seja com taser ou bomba de efeito moral.

OBS 1: não acho que os passageiros devam ser agredidos, mas quando eles não sabem se comportar tem que haver algum meio de contê-los. Já que palavras de autoridade não valem nada, é necessário recorrer aos atos.

OBS 2: a cena pode até parecer semelhante à do filme a lista de schindler, porém, convenhamos que a motivação da violência é completamente díspare. Não podemos comparar a opressão e o ódio aos judeus da ideologia nazista com confusão causada pela falta de ordem dos utilizadores da linha de madureira. Mas valeu como referência, faz-nos refletir sobre a brutalidade humana.

Mais informações sobre essa balbúrdia em: http://rjtv.globo.com/Jornalismo/RJTV/0,,MUL1088429-9099,00-AGENTES+DE+VIGILANCIA+DA+SUPERVIA+VAO+DEPOR+NA+POLICIA.html

Postar um comentário