quinta-feira, julho 16

Vulgaridades

. quinta-feira, julho 16

Não existe essa coisa de palavrão! A falta de educação não advém da coloquialidade.
Podemos ser mesquinhos e arrogantes o suficiente para que o nosso interlocutor
caia em prantos, sem jamais perder a classe ou "descer do salto". Podemos ser baixos e não sermos vulgares. E normalmente, assim ocorre.

Existe o seguinte: Pessoas que te julgam, embasadas em propriedades pobres.
São pessoas carentes de atenção e confiança, maleáveis e manipuláveis, que de tanto necessitarem respostas positivas da sociedade (talvez por não as terem tido de pessoas próximas), acabam se reduzindo a um estereótipo previsível e patético.

Entretanto, não é interessante que crianças soltem palavrões por aí, por duas razões centrais:
1- A sociedade abomina isso, e não seria conveniente. Afinal, nós ainda precisamos dela pra alguma coisa;
2- A criança pode não ter poder de dissernimento para entender essa lógica aqui
apresentada, e absorver coisas ruins com facilidade;

Meu palavrão de cada dia é uma válvula de escape, e nada mais. Se eu quiser ofender alguém, direi algo mais elaborado e "educado", ou seja, humilhante... e obedecendo à norma culta.

1 Comentários:

carolqsk disse...

Olha soh como ele eh culto hein.. Até me perco no meio do post.. auhhuauhauhauh
Mas enfim neh.. Tah totalmente apoiado no palavrão de cada dia.. Eh mesmo necessário!

Beeijo Cee
Te adoro viu?! ahuuhauha

;**

Postar um comentário